Município encerra atividades do abrigo emergencial para moradores de rua contra a COVID-19

A Prefeitura de Mamanguape encerrou nesta segunda-feira (20), com a saída do último acolhido,  as atividades do serviço de acolhimento para moradores de rua no combate a COVID-19. A iniciativa, pioneira na região do Vale do Mamanguape, tornou o município um dos primeiros do estado a adotar providências para garantir a saúde e o bem-estar de pessoas em estado de vulnerabilidade social.

O Abrigo Emergencial teve a sua estrutura montada na Creche Maria do Livramento e estava em funcionamento desde o dia 23 de março do corrente ano,  após deliberação do Comitê de Gestão de Crise.   Desde então, diversos órgãos do município  se uniram numa verdadeira força-tarefa para captar moradores nas ruas da cidade e oferecer diariamente abrigo, roupas, higiene, 3 (três) refeições e o acompanhamento de profissionais dos serviços social e de saúde da prefeitura.

Durante a estadia no serviço de acolhimento, os moradores de rua foram orientados sobre os problemas decorrentes da COVID-19, a necessidade de higienização e os cuidados necessários para aquele momento. O acolhimento não era compulsório e o local chegou a receber 11 (onze) pessoas em situação de rua, atuando paralelamente para reínseri-las  no seio de suas famílias e no convívio social.

O município  viabilizou para aqueles que aceitaram o auxílio emergencial e também os inseriu nos programas do aluguel social e de cesta básica, ofertados através da Secretaria Municipal de Assistência Social. Os demais assumiram a responsabilidade de sair ou foram realocados nas suas cidades de origem como João Pessoa e até em outros estados, a exemplos de Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Leia também
Prefeitura vai oferecer abrigo emergencial e cuidados para moradores de rua
Município segue captando moradores de rua e doações da população

COMPARTILHAR