Secretaria de Habitação e Defesa Civil

Início Secretarias e Órgãos Secretaria de Habitação e Defesa Civil
Foto Perfil Alexsandro Ferreira Figueiredo

Alexsandro Ferreira Figueiredo

Secretário(a)

Informações

Endereço

Praça Antenor Navarro. Centro - Mamanguape - Paraíba

CEP: 58280000

Telefones

Secretaria de Habitação e Defesa Civil - (83) 3292-2563

E-mail

prefeitura@mamanguape.pb.gov.br

Expediente

Segunda à Sexta das 7h30min às 13h30min

Secretário(a)
Alexsandro Ferreira Figueiredo

Socorrista;
Estudante de Segurança do Trabalho¨;
Estudante de Jornalismo;
Formação em Dinâmica da Comunicação;
Formação em Diretrizes do Trabalho;
Radialista.

 Atribuições 

  • planejar, elaborar e implementar a política habitacional no Município;
  • elaborar e administrar estratégias de intervenção urbanística com vista ao desenvolvimento de programas habitacionais em conformidade com o Plano Diretor do Município;
  • promover ações de regularização fundiária visando a titulação definitiva dos moradores de loteamentos, favelas e conjuntos habitacionais;
  • coordenar a elaboração e implantação de projetos e obras de urbanização de favelas, de construção de conjuntos habitacionais de interesse social e as atividades de produção de moradia em autogestão;
  • apoiar e estimular o desenvolvimento de tecnologias alternativas para habitação;
  • promover o desenvolvimento de núcleos habitacionais, inclusive, através de convênios com instituições pública e privada;
  • articular, coordenar e gerenciar as ações de defesa civil em nível municipal;
  • manter atualizadas e disponíveis as informações relacionadas com a defesa civil;
  • dirigir a elaboração e implementação da defesa civil, dos planos de contingência e de operações, bem como, dos programas e projetos relacionados com o assunto;
  • propor à autoridade competente a homologação de situação de emergência e de estado de calamidade pública, e, em casos excepcionais, a sua decretação;
  • apoiar a coleta, a distribuição e o controle dos suprimentos necessários ao abastecimento da população atingida em situações de desastre;
  • promover a organização de comandos operacionais a serem utilizados como ferramenta gerencial para operacionalizar, controlar e coordenar as ações emergenciais em circunstâncias de desastres;
  • dar prioridade ao apoio às ações preventivas e às relacionadas com a minimização de desastres;
  • exercer outras atividades correlatas às competências da Secretaria.

 Competências 

  • executar ações que resultem na implantação de projetos e programas que componham a política municipal de habitação, principalmente visando às famílias mais carentes do Município;
  • promover a regularização fundiária e urbanização específica para áreas ocupadas por população de baixa renda;
  • promover a formação de programas habitacionais pelo sistema de mutirão e autoconstrução;
  • criar e incentivar projetos para a assessoria técnica gratuita à construção de casa própria popular;
  • realizar convênio e contratos, com as outras esferas de governo e instituições governamentais, para a execução de projetos e programas de habitação popular e melhoria das condições de habitação da população de baixa renda ou em condição de risco;
  • estabelecer a política municipal de habitação, avaliando, acompanhando e decidindo sobre as ações do Município na área habitacional, juntamente com o Prefeito Municipal;
  • elaborar programas e projetos, observado o que a respeito dispuser as peças de planejamento orçamentário;
  • acompanhar o cumprimento do programa de concessão de direito real de uso de lotes urbanizados;
  • articular a política municipal de habitação com as demais políticas dos Governos Estadual e Federal;
  • promover a execução de programas habitacionais em benefício de famílias de baixa renda, sem moradia própria, regularmente cadastrados, a fim de facilidade acesso à aquisição da casa própria;
  • orientar a ação integrada dos órgãos públicos e da iniciativa privada, no sentido de estimular o encaminhamento de soluções habitacionais, especialmente para as classes da população de mais baixa renda;
  • incentivar a aprovação de loteamentos especiais para revenda em longo prazo;
  • conceder e promover assistência técnica necessária na construção da moradia própria ou para reformas de moradias interditadas, e outras ações correlatas ou complementares;
  • planejar, articular, coordenar e gerenciar ações de Defesa Civil em nível municipal;
  • promover a ampla participação da comunidade nas ações de Defesa Civil, especialmente nas atividades de planejamento e ações de resposta a desastres e reconstrução;
  • elaborar e programar planos diretores, planos de contingência e planos de operações de Defesa Civil, bem como projetos relacionados com o assunto;
  • elaborar plano de ação anual objetivando atendimento de ações em tempo de normalidade, bem como em situações emergenciais, com a garantia de recursos do orçamento municipal;
  • prover recursos orçamentários próprios necessários às ações relacionadas com a minimização de desastres e com o restabelecimento da situação de normalidade, para serem usados como contrapartida da transferência de recursos da União e do Estado de acordo com a legislação vigente;
  • capacitar recursos humanos para as ações de Defesa Civil e promover o desenvolvimento de associações de voluntários, buscando articular ao máximo a atuação conjunta com as comunidades apoiadas;
  • vistoriar edificações e áreas de risco e promover ou articular a intervenção preventiva, o isolamento e a evacuação da população de áreas de risco intensificado e das edificações vulneráveis, mediante assessoramento técnico por profissional habilitado pertencente ao quadro de funcionários da Prefeitura ou contratado por ela;
  • implantar banco de dados, elaborar mapas temáticos sobre ameaças múltiplas, vulnerabilidade e mobiliamento do território, ponderar níveis de risco e inventariar os recursos existentes no território e disponíveis para o apoio às operações;
  • analisar e recomendar a inclusão de áreas de risco no plano diretor estabelecido no § 1º do artigo 182 da Constituição da República Federativa do Brasil;
  • manter órgão estadual de Defesa Civil e o Órgão Federal de Defesa Civil informados sobre a ocorrência de desastres e sobre as atividades de Defesa Civil;
  • realizar exercícios simulados com a participação da população para treinamento das equipes e aperfeiçoamento dos planos de contingência;
  • proceder à avaliação de danos e prejuízos das áreas atingidas por desastres e ao preenchimento dos formulários de Notificação Preliminar de Desastres – NOPRED, de Avaliação de Danos – AVADAN e de Declaração Municipal de Atuação Emergencial – DEMATE, ou outro documento equivalente determinado pelo Sistema Nacional de Defesa Civil;
  • propor a autoridade competente à decretação de situação de emergência ou de estado de calamidade pública, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Conselho Municipal de Defesa Civil – COMUDEC;
  • vistoriar periodicamente, locais e instalações adequadas a abrigos temporários, disponibilizando as informações relevantes à população;
  • coordenar a coleta, a distribuição e o controle de suprimentos em situações de desastres;
  • planejar a organização e a administração de abrigos provisórios para a assistência à população em situação de desastre;
  • participar dos Sistemas previstos na Lei nº 12.340, de 1º de dezembro de 2010, ou outra legislação vigente, promovendo a criação e a interligação de centros de operações e incrementar as atividades de monitorização, alerta e alarme com o objetivo de otimizar a previsão de desastres;
  • exercer outras atividades correlatas.

Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support