Município começa campanha de vacinação contra a gripe

Na última quarta-feira (10) teve início a campanha nacional de vacinação contra a gripe. A princípio, os postos de saúde distribuirão doses da vacina trivalente até o dia 31 de maio para os grupos prioritários. A escolha da ordem de vacinação, de acordo com o Ministério da Saúde, foi feita por causa da maior vulnerabilidade de cada grupo.

A primeira etapa acontecerá no período de 10 a 19 de abril, com a vacinação contra influenza de crianças (de 6 meses até 5 anos 11 meses e 29 dias) e gestantes, além da atualização da caderneta de vacinação de acordo com a situação encontrada e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Já a segunda etapa ocorrerá no período de 22 de abril a 31 de maio, com a vacinação de todos os grupos prioritários em todo o país e também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação de crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes, conforme a situação vacinal encontrada e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

O dia “D” da vacinação contra a influenza será no dia 04 de maio, com mobilização em todo o país. O secretário de saúde, Antônio Neto, afirmou que a Secretaria de Saúde do Município trabalha em regime de empenho total para atingir os objetivos da campanha. “A meta nacional é vacinar pelo menos 90% dos grupos elegíveis e nós faremos tudo que estiver ao nosso alcance para nos aproximarmos dela”, disse neto.

O que é influenza?

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias.

Sinais e sintomas

secreção nasal, tosse, Fadiga, febre (geralmente alta), mal-estar, dores musculares, mialgia e cefaleia.

Grupos alvos

Crianças de seis meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, povos indígenas, idosos de 60 anos ou mais de idade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas. População privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, além dos professores das redes pública e privada. >

COMPARTILHAR