Autor: Assessoria

Mamanguape assina primeiro acordo com MPPB para acabar com lixão

A Prefeitura de Mamanguape assinou nesta segunda-feira (08) o primeiro acordo de não-persecução penal com o Ministério Público da Paraíba (MPPB), se comprometendo em fechar seu lixão em até um ano. O Município também firmou o termo de ajustamento de conduta (TAC) para em até cinco anos recuperar a área degradada pela poluição do despejo […]

08/10/2018 23h40 Atualizado há 4 anos atrás

A Prefeitura de Mamanguape assinou nesta segunda-feira (08) o primeiro acordo de não-persecução penal com o Ministério Público da Paraíba (MPPB), se comprometendo em fechar seu lixão em até um ano. O Município também firmou o termo de ajustamento de conduta (TAC) para em até cinco anos recuperar a área degradada pela poluição do despejo de resíduos a céu aberto. Os outros 18 municípios chamados pelo MPPB para colocarem fim ao crime ambiental têm até a próxima quinta-feira para assinar o acordo, sob pena de serem denunciados à Justiça.

O acordo, que livra o Município de uma ação penal, foi assinado no edifício-sede do MPPB na Capital, pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e pela prefeita de Mamanguape, Maria Eunice do Nascimento Pessoa. Acompanharam o ato o procurador de Justiça, Francisco Sagres; os promotores de Justiça, Raniere Dantas (coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente) e Carmem Perazzo (3ª promotora de Mamanguape); a procuradora-geral do Município, Danielle Ismael Macedo e o secretário municipal do Meio Ambiente, Gemerson Farias da Costa.

Francisco Seráphico lembrou que antes de chamar os 19 prefeitos da região, o MPPB, juntamente com a Superintendência do Meio Ambiente (Sudema), com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA) e com o Ministério Público Federal, estudaram a situação e viram que as prefeituras têm alternativas viáveis para acabar com seus lixões em um ano. “A gente sabe da dificuldade que os municípios enfrentam e queremos dar apoio, oferecendo cursos, inclusive. Sem falar que acabar com um lixão, para qualquer gestor, é uma conquista histórica”, disse.

O maior município do Vale
A prefeita Eunice Pessoa disse que resolveu assinar o acordo porque é consciente da importância de acabar com a poluição provocada pelos lixões. “Mamanguape é uma cidade de porte médio, com quase 50 mil habitantes e padecemos muito com esse problema. Eu me adiantei, porque já vou viabilizando como fazer isso, com o apoio do Ministério Público. Achei importantíssimo, como o maior município do Vale do Mamanguape, vir aqui hoje e ser o primeiro a assinar esse acordo”, afirmou.

A procuradora do Município e o secretário do meio ambiente falaram sobre as dificuldades financeiras, mas disseram que a Prefeitura está disposta a buscar a solução. O procurador Francisco Sagres e o promotor Raniere Dantas lembraram que o Município pode reduzir o volume de resíduos encaminhados ao aterro, investindo em coleta seletiva e em compostagem. Já a promotora Carmem Perazzo destacou a importância dos municípios da região discutirem como farão para acabar com seus lixões e, quem sabe, buscarem uma solução comum.

Nesta fase, estão sendo cobrados a tomar uma posição os 19 municípios do Litoral Norte: Lucena, Alhandra, Conde, Curral de Cima, Jacaraú, Lagoa de Dentro, Pedro Régis, Capim, Cuité de Mamanguape, Itapororoca, Mamanguape, Mataraca, Baía da Traição, Marcação, Rio Tinto, Cruz do Espírito Santo, Caaporã, Pitimbu e Pedras de Fogo.


Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support