Em parceria com UNINASSAU, prefeitura de Mamanguape lança o aplicativo #AtendeEmCasaCOVID19

A Prefeitura de Mamanguape, em parceria com a Faculdade Maurício de Nassau, está lançando o aplicativo Atende em Casa que vai auxiliar no atendimento realizado uma espécie de triagem. A prefeitura disponibilizará profissionais da rede municipal de saúde, que receberão treinamento e entrarão em contato com os casos suspeitos para dar mais informações e acompanhar a evolução do doente.

Após baixar e instalar o aplicativo, a pessoa vai se identificar informando CPF, nome, idade, telefone e CEP, depois ela responde um questionário sobre os principais sintomas que pode estar tendo como febre, tosse, dor no corpo e falta de ar. Dependendo das respostas, o aplicativo que utiliza inteligência artificial recomendará para os casos considerados leves, repouso e isolamento social. Já nos casos considerados moderados ou graves a ferramenta levará o paciente a teleorientação, através de videoconferência ou ligação, por um profissional de saúde que fará o primeiro atendimento de forma remota.

O aplicativo não substitui a consulta médica, mas garante assistência rápida, eficiente e, principalmente, orientações para as pessoas que apresentam tais sintomas e não sabem o que fazer. Os pacientes que não forem direcionados aos médicos pela classificação, serão acompanhados e receberão notificações sobre o estado clínico de cada um. A partir de segunda-feira (11) o ambiente estará disponível para o treinamento dos profissionais de saúde do município que utilizarão o app e atuarão exclusivamente nesse tipo de atendimento.

O secretário de saúde, Rafael Aires, disse que o app é de suma importância porque agiliza o atendimento e evita que eas pessoas se aglomerem indo a unidade de saúde em busca de ajuda médica. O aplicativo permite que as pessoas entrem em contato com os profissionais de saúde para que possam ser atendidas e orientadas quanto a gravidade do seu caso e, caso necessário, ser encaminhadas para as unidades de saúde ou permanecer no tratamento domiciliar”, disse Rafael.

As pessoas que não conseguirem acesso ao app devem procurar a unidade de saúde mais próxima de suas casas, desde que apresentem sintomas que possam ser identificados como da COVID-19, para serem avaliadas pelo profissional de saúde.

COMPARTILHAR