Mamanguape se torna referência como 1° município da Paraíba a realizar tratamento da sífilis em todas as Unidades de Saúde da Família

Secretário de Saúde Antônio Neto destaca a administração de penicilina na Atenção Básica

 

A Secretaria de Saúde de Mamanguape foi convidada pelo Governo do Estado, nessa sexta-feira (06), para apresentarem no Seminário de Fortalecimento do Enfrentamento da Sífilis, na cidade Queimadas, a experiências bem sucedida na administração de Penicilina Benzatina para tratamento de Sífilis.

 

Estiveram presentes ao I Fórum Municipal de Sífilis e Sífilis Congênita, o obstetra do Hospital Universitário de João Pessoa, Dr. Otávio Pinho, que proferiu palestra sobre a Sífilis; a responsável técnica estadual do Núcleo de IST/Aids, Dra. Joana Ramalho, que palestrou sobre Epidemiologia da Sífilis e levando a exitosa experiência do município de Mamanguape aos profissionais de Queimadas, a coordenadora de Vigilância da Secretaria de Saúde de Mamanguape, Gianeide Camargo, enfermeira  mestranda em Saúde Pública a qual palestrou sobre o uso da penicilina benzatina na Atenção Básica  do município.

 

A Sífilis teve um aumento gigantesco no Brasil nesses últimos anos. É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum podendo ser transmitida por meio de relações sexuais sem preservativos, transfusão de sangue contaminado de mãe para filho (durante a gestação e o parto). Ela é quatro vezes mais frequente nas gestantes do que o vírus da Aids (HIV), conforme informações de do Ministério da Saúde. A doença ainda é um grande desafio para a saúde pública no Brasil, em virtude da sua elevada prevalência e de graves sequelas perinatais.

 

Para o secretário da Saúde de Mamanguape, Antônio Neto, o tratamento da sífilis tão somente necessita de compreensão, conhecimento e adesão da população. Ele lembrou que a Secretaria de Saúde recentemente teve dois representantes no Congresso Internacional de HIV/AIDS em Curitiba, Gianeide Camargo coordenadora de Vigilância e o adjunto da pasta, Rafael Aires.

 

De acordo com o Secretário, implantar protocolos nada mais é que preconizar uma metodologia e garantias do atendimento para a população e segurança para os profissionais.

 

Além da construção e elaboração do protocolo na Vigilância em Saúde e Atenção Básica, a articulação com o SAMU mostrou-se uma interlocução eficiente que deu segurança e treinamento a todos os profissionais da Atenção Básica. “Lembro também que foi uma capacitação em que convidamos toda a Região de Saúde para se fazerem presentes. Os resultados já começam a aparecer, acrescentou Antônio Neto.

 

O Secretário disse que a penicilina benzatina é o único medicamento capaz de atravessar a barreira placentária e chegar até o feto, prevenindo assim à sífilis congênita. “O ganho disso para a população é imenso! Vamos seguir avançando, acelerando os avanços que a cidade precisa”, finalizou.